Início | Mapa do Site | Fale Conosco  
Localização
Fotos do Parque
Ibitipoca
Itacolomi
Nova Baden
Rio Doce
Serra do Brigadeiro
Serra do Rola Moça
Baleia
Biribiri
Campos Altos
do Sumidouro
Grão Mogol
Lagoa do Cajueiro
Mata Seca
Pico do Itambé
Rio Corrente
Serra da Candonga
Serra das Araras
Serra do Cabral
Serra do Papagaio
Serra Negra
Serra Nova
Sete Salões
Verde Grande
Veredas do Peruaçu
 
história pra contar
 
Em 1991 o Rio Preto foi declarado Rio de Preservação Permanente, concretizando o grande interesse da comunidade de São Gonçalo do Rio Preto. Esta ação culminou na necessidade de proteger sua nascente. Dois anos depois foi sancionada a lei que autorizou a criação do Parque Estadual do Rio Preto, através do decreto Nº 35.611 de 01 de junho de 1994, com uma área total de 10.755 hectares.

infra-estrutura
 
O horário de funcionamento do Parque é de 07:00 às 17:00 hs. A infra-estrutura do Parque é composta por Sede Administrativa, Centro de Informação e Educação Ambiental - Auditório, 12 Alojamentos com capacidade para 50 pessoas; Refeitório com capacidade para atendimento de 500 refeições/dia; Área de Camping que comporta 15 barracas equipada com quiosques, churrasqueiras, vestiários, área para lavagem de roupa e louça e fonte com água potável.

uma beleza de tirar o fôlego
 
O Parque conta com inúmeros atrativos turísticos, todos com surpreendente beleza, destacando-se as cachoeiras do Crioulo e da Sempre - Viva, as pinturas rupestres e os mirantes naturais que irão permitir aos futuros visitantes a contemplação de toda a área da Unidade e do entorno.

O Rio Preto possui como cobertura vegetal nativa os campos de altitude, os campos rupestres, os cerrados, os cerradões e as matas de altitude, tipologias vegetacionais, que cobrem mais de 99,5% da área.

Na área do Parque predominam espécies vegetais importantes do estrato arbóreo como o pau-d'óleo, a sucupira, o ipê, o cedro, o jatobá, o ingá, a candeia, esta última bastante freqüente em áreas de transição entre a mata e os campos de altitude.

A diversidade florística e a abundância de recursos hídricos e de abrigos em rochas, relaciona-se uma fauna bastante rica. Ocorrem animais já escassos em grande parte do Estado, alguns dos quais em processos de extinção constantes da lista oficial de animais ameaçados de extinção, como o tatu-bola, o tamanduá-bandeira e o lobo-guará.

A extraordinária beleza cênica do parque, com seus imensos afloramentos rochosos, formações vegetais exuberantes, inúmeras cachoeiras e piscinas naturais, conferem à área enorme potencial para visitação pública e turismo ecológico.

Vale ainda ressaltar a importância da ocorrência de inúmeras nascentes e cursos de água, vertentes para o rio Jequitinhonha, um dos mais importantes sustentáculos de sobrevivência da região.

copyrigth 2005 © IEF - Instituto Estadual de Florestas - todos os direitos reservados